05 setembro 2010

Verona, a cidade de Romeu e Julieta


Verona, uma cidade da região do Vêneto, provavelmente foi fundada pelos Celtas. Chegou a ostentar a supremacia artística de toda a Itália, sendo sede de uma escola pictórica onde se destacou Paolo Veronese. Palco da célebre matança de franceses conhecida com o nome de Páscoas Veronesas, Verona era o território que sempre gerava disputas entre Napoleão III e a Aústria.

Por fim, Verona foi incorporada ao Reino de Itália em 1866 e declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco por sua estrutura urbana e arquitetura. É da região de Verona que provém o Prosecco, o vinho espumante muito apreciado em todo mundo e também o vinho Valpolicella.





Verona é um dos locais onde se passa a história da peça Romeu e Julieta escrita por William Shakespeare. No centro da cidade existe uma vila onde, conta a história, Julieta morava. Este é um ponto turístico que tem a fama de cidade dos namorados, atraindo centenas de turistas. Muitos atores vestidos conforme os costumes da época recebem os turistas encenando a peça ao som de flautas.



A história de Romeo e Giulietta, que tem encantado os namorados, passa-se em Verona nos anos de 1590 e conta um romance trágico de dois jovens apaixonados, pertencentes a duas famílias que eram inimigas. Resumidamente, Romeo pertencia à familia Montecchio e Giulietta pertencia à família dos Capuletos. Eles se conhecem durante uma festa, se apaixonam perdidamente e resolvem se casar. Mas um amigo de Romeo ao aceitar um duelo para defendê-lo é morto por um dos membros da família Montecchio. Irritado com a morte do amigo, Romeo prossegue o duelo e o mata.

O Príncipe decide exilar Romeo que fica proibido de retornar à cidade. Giulietta sendo persuadida a aceitar um casamento com outro rapaz, pede ajuda ao Frei Lourenço que lhe oferece um pequeno frasco, que se ingerido, a colocaria em coma, enquanto o Frei avisaria a Romeo para retornar a Verona. A família imaginando Giulietta morta a coloca numa cripta.

No entanto, a mensagem enviada a Romeo é extraviada e Romeo, ao ver sua amada na cripta, imaginando estar morta, toma um veneno vindo a falecer. Pouco depois, Giulietta acorda e vendo morto o amado a seu lado, se suicida com o punhal dele. Ao final o Frei encontra os jovens mortos e reconta a história do amor impossível, reconciliando as duas familias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.