08 novembro 2010

Matera, a pitoresca cidade dos Sassi


Ao sul da Itália encontra-se uma antiga cidade muito incomum e com cerca de 9.000 anos de História para contar. O que a diferencia potencialmente são suas casas escavadas na própria rocha, onde antes as fendas naturais já ofereceram abrigo aos povos nômades, pastores e os que os antecederam.

A antiga cidade de Sassi hoje é a parte da cidade de Matera, que proporciona aos turistas o desvendar de praças, ruas e imagens antigas. A diversidade temporal e cultural está registrada nos tipos de construção que se amontoam na solidez de seu material. Concluem os arqueólogos que tudo começou pelas cavernas que protegiam o homem dos predadores. Por ali também passaram os nômades e estabeleceram-se os pastores.

Gregos e romanos constituíram um povoado e a Idade Média fez de Sassi o centro das atividades agrícolas e pecuárias de uma cidade rochosa. Assim, o cenário histórico se confunde e se divide em casas modernas, exemplares barrocos, medievais e abrigos naturais.


O que sobrou da estrutura formada por canais interligados e terminados em cisternas, revela a coleta de água dos períodos chuvosos da árida região e sugere que, pela capacidade populacional do lugar, o excedente imaginado de água só faz sentido se a cidade tivesse, no período da construção desse sistema, uma atividade agrícola regular e irrigada. A água era canalizada e distribuída através de poços encontrados por toda Sassi.



Do bairro dos Sassi, a Igreja de Santa Maria de Idris do século 14, talvez a mais antiga, é completamente escavada na rocha, em exceção à fachada. Existem ainda a Igreja de San Pietro Barisano do séculos 12 e Igreja San Pietro Caveoso erguida em 1656 à beira de um precipício. Por causa do seu cenário antigo e primitivo e em torno de Sassi, ela tem sido utilizada por cineastas como gravar cenários da antiga Jerusalém antiga devido suas características.



Mas no século 18, a organização construída pelo tempo começou a mudar na cidade de Sassi. Novas ruas e novos prédios obstruíram o engenhoso modo de levar água à população. Deram trânsito aos sedimentos e comprometeram a harmonia da cidade. Em paralelo, os problemas econômicos afetaram a agricultura, levando mais e mais pessoas ao centro populacional, resultando no aumento de doenças.


O relato culmina na indesejada retirada de mais de 15 mil pessoas daquela região, na década de 50. Hoje, Sassi é a parte turística da cidade de Matera. Vem sendo restaurada, repovoada e complementa o Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade, aos cuidados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - Unesco.



Muitos dos achados arqueológicos e históricos são conservados no Museu Nazionale Domenico Ridola. Alguns dos Sassi mais bonitos foram revitalizados e utilizados em sugestivas sedes de exposições, com uma especial frequência às importantes mostras de escultura.



Matera Sé é um importante monumento de Matera. Construído em estilo arquitetônico romano, a igreja tem uma torre sineira de 52 metros. A principal característica da fachada é a rosácea, dividida por dezesseis colunas de pequeno porte. A decoração vem de uma restauração no estilo barroco.



6 comentários:

  1. Visitei esta cidade em 2011. É simplesmente encantadora e tem um dos melhores pão do mundo.

    ResponderExcluir
  2. Visitei esta cidade em 2011. É simplesmente encantadora e tem um dos melhores pão do mundo.

    ResponderExcluir
  3. Jorge Luiz Sarturato

    Visitei esta cidade em 2012, é fantástica!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde,gostaria de saber dos hoteis

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde,gostaria de saber dos hoteis

    ResponderExcluir

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.