31 julho 2011

Bassano del Grappa




Bassano del Grappa é uma cidadezinha medieval localizada na base do Monte Grappa na região do Vêneto. É conhecida sobretudo por sua ponte de madeira, a Ponte Vecchio ou Ponte degli Alpini. Os Alpinos são grupos de soldados especializados em ação de montanha, utilizando equipamentos de montanhismo além do habitual equipamento de combate. Antigamente seus soldados utilizavam esquis para um deslocamento mais eficaz e mulas para o transporte de material bélico. 

 




A importância dos Alpinos na história militar da Itália se destaca pelas batalhas travadas nos Alpes italianos, particularmente nas fronteiras com a Áustria e a França. A ação dos Alpinos durante a I Guerra impediu o avanço do Império Austro-Húngaro na península itálica e na 2a. Guerra serviu como apoio na invasão da França. Ao longo dos anos ocorreram também ações desse grupo de militares na Líbia e Etiópia. Atualmente existem divisões de Alpinos em combate no Afeganistão.







A insígnia dos Alpini pode ser vista por toda Bassano del Grappa e nas lojas de lembranças. Inclusive há um Museu em homenagem aos soldados Alpini, que reconstruiram a ponte. O museu contém fotografias e relíquias de várias campanhas militares, mas principalmente da 1a. Guerra Mundial quando lutaram no Monte Grappa. Há também os registros do horror de 1944, quando os alemães penduraram 31 guerrilheiros da resistência italiana em árvores. A panorâmica Viale dei Martiri é dedicada a esses homens.






Uma das mais belas vistas da ponte é de uma pequena varanda na entrada do Museo della Ceramica no Palazzo Sturm, que contém exposições de cerâmica e porcelana faiança local. Pela Torre Civica na Piazza Garibaldi, tem-se uma bela vista.

Um edifício do século 15 tem um grande relógio em sua fachada, que data de 1430 e embora os afrescos externos estejam se perdendo, ainda apresenta uma pintura de São Cristóvão feita por Francesco Bassano.  

 


O centro da cidade tem ruas e praças atraentes com muitas lojas, cafés e igrejas. Existem vários pontos para relaxar, especialmente às margens do Rio Brenta. Os jardins botânicos de Bassano, foram criados por um entusiasta local em um parque público. No topo da colina estão o Castello degli Ezzelini e a Catedral di Santa Maria in Colle.
 

O Museo Civico da cidade está situado no antigo convento ao lado da igreja de San Francesco. Há obras de muitos artistas mas a atração principal do museu está no andar de cima, uma espaçosa galeria de arte da família Bassano, incluindo um salão dedicado ao seu mais famoso representante: Jacopo Bassano, com muitas obras reunidas de igrejas locais e edifícios.

 


O produto mais famoso de Bassano é a Grappa. O licor de fogo, que vem em muitas variedades, é feito de sobras do processo de vinificação. Ela pode ser encontrada toda a Itália, mas esta área é particularmente conhecida por sua grappa especial. Um histórico de destilarias de Bassano está num pequeno museu - o Museo della Grappa - onde se pode ver como é preparada e também degustar. Também é a região famosa por seus aspargos brancos.


12 julho 2011

Udine, a bela capital do Friuli



Udine, a histórica capital do Friuli Venezia Giulia, é conhecida por sua rica história, saborosos vinhos e boa comida. Fundada em 1220, é a maior cidade da região a 40 quilômetros da fronteira com a Eslovênia, tendo uma linda vista para os Alpes e o Mar Adriático.

A cidade sofreu um grande terremoto em 1511 que destruiu as antigas construções mas a
reconstrução em estilo renascentista tornou Udine ainda mais maravilhosa. O patrimônio histórico e artístico de Udine está no Castelo que foi construído após o terremoto, um dos salões mais antigos do parlamento europeu.







A Piazza della Libertà é a principal e mais antiga de Udine e definida como a praça mais bonita em estilo veneziano no continente. Durante os séculos mudou de nome várias vezes. Era conhecida na época medieval como a Praça do Vinho, porque concentrava ali o comércio de vinho.

Com a chegada dos venezianos passou a ser chamada Praça Contarena em
homenagem ao comandante. Em seguida foi intitulada Praça Vittorio Emanuele II mas logo após a Segunda Guerra Mundial, a praça adquiriu o nome Piazza della Libertà.





A praça contém edifícios e estruturas como como o Loggia del Lionello, construído entre 1448-1457. Ao lado oposto,
está a Loggia di San Giovanni com sua estrutura renascentista. Outros notáveis monumentos na praça são a fonte, as colunas que carregam o leão veneziano e a estátua da justiça, as estátuas de Hércules e Cacus - chamadas popularmente de Florian e Venturin - e a estátua da paz que foi doada a Udine pelo Imperador Francisco I em comemoração ao tratado de paz de Campoformido.



A Torre dell'Orologio e os antigos prédios dos séculos 15/18 estão ao redor da praça
que foi o antigo local de execuções públicas da cidade. A velha residência dos patriarcas de Aquileia foi erigida 1517 no lugar da mais antiga que foi destruída pelo terremoto.

Sob o controle dos austríacos, foi usada como uma prisão. Nos arquivos da catedral foi formalmente preservado um código Visigótico de leis, um manuscrito conhecido como o Codex Utinensis. Em 1550 alguns palácios foram erigidos em Udine, como o Palazzo Antonini.







A catedral Santa Maria Maggiore é um edifício imponente com dimensões monumentais e trabalhos de arte. No térreo
tem a torre do sino. A igreja dedicada a Santa Maria do Castelo é provavelmente a mais velha em Udine. Perdeu seu status de paróquia em 1263 quando foi anexada à paróquia maior de Santo Odorico, que se tornou a Catedral. Renovada muitas vezes através dos séculos, suas três naves preservam a atmosfera sugestiva de silêncio e de contemplação, que é frequentemente encontrada em igrejas antigas. A igreja de Santa Maria della Purità possui afrescos do século 18.



Localizada ao norte do mar Adriático, Udine está próxima de algumas das melhores praias da Itália. Lignano S
abbiadoro é um dos principais resorts de verão com praias limpas, equipadas e perfeita para os esportes aquáticos, além dos bons restaurantes onde se pode saborear as famosas especialidades de marisco. No passado, Lignano Sabbiadoro foi um lugar preferido e amado pelo famoso escritor americano Ernest Hemingway.

09 julho 2011

Guardia Perticara, terra das casas de pedra




Guardia Perticara é um antigo vilarejo na região da Basilicata. Achados arqueológicos revelam que a cidade foi habitada na Idade do Ferro. Assolada por uma epidemia em 1657 e por um violento terremoto de 1980, a cidade medieval teve uma drástica redução de habitantes, mas de suas estruturas medievais ainda preserva os magníficos portais, igrejas antigas e edifícios históricos.








Chamada de " Terra das casas de pedra", a pedra de Gorgoglione dá vida e profundidade para portais, escadas, arcos, sacadas e varandas de ferro forjado e carrega o perfume de madeiras que se sente ao passar pelas ruas estreitas.

As pedras trabalhadas por mestres artesãos ao longo das ruas, como a Via Marconi, pode-se ver nas casas de paredes de pedra com azulejos antigos, painéis nas janelas e detalhes arquitetônicos de uma sabedoria secular construtiva. 





Considerado um dos locais mais belos da Itália, a cidade é humilde, simples e inspira confiança. Cidade dos biscoitos típicos como o "strazzatella" e "Chizzola", entre as maravilhas da culinária local estão as massas "ferricelli ou fusili" com molho de carne e torresmo.



planta do alcaçuz
raiz e pastilhas de alcaçuz

Além do excelente azeite extra-virgem de castanha, na cidade brotam espontaneamente o alcaçuz ou liquirizia e ervas em geral. As plantas do alcaçuz são oriundas da Europa Meridional e há séculos são utilizadas nos países mediterrâneos por suas propriedades medicinais e aromáticas.

Há mais de 3 mil anos os médicos chineses já utilizam o alcaçuz para tratar distúrbios do fígado e ainda hoje continua sendo um remédio popular. O principal ingrediente ativo do alcaçuz é a glicirrizina, uma substância doce, branca e cristalina. Em estado puro, é 50 vezes mais doce que o açúcar  o que dá ao alcaçuz um gosto doce e agradável.

Usado como realçador do sabor de doces, é amplamente utilizado na aromatização de cervejas, gelatinas e produtos de sobremesa. Também usado nas misturas de tabaco para dar sabor, charutos e cosméticos, pesquisas confirmaram que o alcaçuz impede o desenvolvimento de bactérias e do tártaro dos dentes, ajudando a evitar a cárie dentária.


06 julho 2011

Brisighella medieval



Brisighella, uma comuna muito antiga na região da Emília-Romagna, tem uma curiosidade interessante: a Rua dos Burros ou Via degli asini. É a estrada mais antiga do local, considerada a primeira construida com elevação acima do nível da rua com grandes arcos. No passado, cada família que habitava na casa recebia um arco. Mais tarde, se tornou um corredor por onde passavam os mercadores de Faenza e Firenze com seus burros, por isso passou a se chamar Rua dos burros.









Situada em um vale, atualmente Brisighella oferece um magnifico Spa entre as colinas dos Apeninos, com fonte de águas sulfurosas usadas em tratamentos médicos. A Torre do relógio,
o Castelo e o Santuário da Virgem fazem a beleza de sua paisagem com a sua autêntica atmosfera medieval, tendo sido premiada como um dos lugares mais belos da Itália pelo Touring Club Italiano. Em julho de cada ano acontece a Festa Medieval de Brisighella, com encenações e performances inspiradas nos poemas cavalheirescos.



A torre do relógio, que testemunhou seu passado, na verdade não é um castelo. Existe uma lenda de que existia um poço muito profundo cheio de lâminas muito afiadas. Para ali eram enviados os jovens rapazes, mártires da poderosa Condessa Catherina Sforza, que depois de passar uma noite de amor com um jovem, o eliminava lançando-o no poço da torre. Nos últimos anos de sua vida, ela confidenciou a um monge: "Se eu fosse escrever a história da minha vida, eu iria chocar o mundo".
Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.