19 novembro 2011

Cortona: Sob o sol da Toscana



Conhecer Cortona, na região da Toscana, é ir ao encontro da arte, da história e do misticismo. Guardada no interior das muralhas etruscas a 600 metros de altitude, a cidade testemunha através dos séculos todos os acontecimentos dos Apeninos e do Lago Trasimeno. Cortona é uma antiga cidade que foi habitada pelos etruscos, um povo do qual sabe-se muito pouco mas que, apesar do seu estilo de vida simples, possuia uma organização social e política muito elevada.





Os etruscos valorizavam a participação das mulheres nos negócios e na política. A mulher etrusca não era marginalizada da vida social e participava ativamente dos banquetes, jogos ginásticos e nas danças. Por isso, gregos e latinos consideravam promíscua a cultura etrusca, que permitia essa livre situação social da mulher.


Hábeis negociadores, os etruscos detinham muita riqueza e por isso sofriam muito ataques. Isso explica as construções de grandes muralhas que cercavam as terras onde se estabeleceram. Conhecedores de diversos elementos da arquitetura, construíram pontes, canais, muralhas e arcos nas entradas das cidades mas sobretudo se destacaram na arquitetura funerária. Todas essas influências são muito marcantes em várias cidades da Toscana que eram dominadas pelos etruscos.





Situada em um cenário único, Cortona está rodeada de destinos turísticos tradicionais como Florença, Arezzo, Siena, Perugia e outros, mas por muito tempo foi totalmente desconhecida no turismo. Porém, quando Frances Mayes, exímia narradora de viagens e amante da gastronomia, descreveu em seu livro "Sob o Sol da Toscana" o incrível mundo descoberto ao comprar e reformar uma casa de campo abandonada no interior da Toscana, na verdade ela despertou o interesse do mundo sobre Cortona como também pelos costumes, vinhos e receitas da culinária Toscana.





Circundada por uma grande muralha, seus edifícios medievais e ruas estreitas dão à cidade uma atmosfera evocativa. A Praça da República, no centro da cidade, é dominada pela Câmara Municipal e por muitas lojinhas. As mesinhas com cadeiras na calçada convidam o turista a sentar-se para melhor apreciar a atmosfera de Cortona. Mas o melhor é quando se caminha por suas ruelas muito estreitas apreciando cada detalhe, pois a maioria dos veículos são estacionados fora das muralhas da cidade.





E é nesse cenário medieval que acontece a Cortonantiquaria, uma das mais importantes feiras de antiguidades realizada todos os anos, desde o século 18 no Palazzo Vagnotti. Sendo conhecida na Itália e no mercado internacional de antiquários, móveis antigos, gravuras, objetos de arte, jóias antigas e objetos de decoração antigos são colocados à amostra atraindo colecionadores e antiquários de todo o mundo. A feira é organizada no final do mês de agosto/ início de setembro, lotando a praça.






O Palazzo Casali, que já foi residência de uma família nobre de Cortona, hoje abriga o Museu da Academia Etrusca. No castelo estão interessantes achados arqueológicos etruscos e romanos. No extremo norte da cidade, o Museu Diocesano contém obras de grandes artistas, como Luca Signorelli e de Fra Angelico. A Basílica de Santa Margherita e o Santuário Franciscano de Celle convidam o turista a uma viagem de arte e fé, além de desfrutar dos lindos resorts nas imediações de Cortona.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.