08 fevereiro 2012

Mantova, a cidade que guarda o sangue de Jesus




Em uma paisagem medieval e renascentista, a cidade de Mantova ou Mântua no coração da Lombardia representa uma parte da história artística e musical da Europa. Originada a partir de uma vila etrusca que existia sobre duas pequenas ilhas do Rio Mincio no século 6 a.C., o nome da cidade está relacionado à divindidade etrusca Mantus.


 
 
 

Os três lagos: Tendo sido parte do Império romano, foi disputada e invadida por diversos povos até que Alberto Pitentino alterou o curso do rio para criar os lagos e assim reforçar a proteção natural da cidade.

Anos mais tarde a Dinastia dos Gonzaga assumiu o poder e construiu as muralhas com cinco portas quando governaram a cidade durante a Idade Média. Posteriormente Mantova esteve sob o poder de Napoleão e, depois do domínio austríaco até 1866, passou a fazer parte da Itália.

Com muitas áreas verdes e cercada por 3 lagos - Superior, Médio e Baixo - que se cobrem de flor de lótus de julho a setembro formando ilhas de flores de rara beleza, Mantova faz parte de um dos melhores roteiros gastronômicos da Itália e do Lambrusco, o bom vinho mantovano.






 

 
Piazza dele Erbe: O centro da cidade é entremeado de lindas praças como a Piazza Sordello, Piazza Broletto, Piazza Mantegna e outras. Mas é a charmosa Piazza delle Erbe que atrai muita gente. Durante o dia a grande atração é o mercado de frutas e verduras. À noite são os bares e sorveterias que animam a praça.



 
 

Marcada pela Rotonda di San Lorenzo e o Palazzo della Ragione, na Torre se destaca um grande relógio astromômico e astrológico que foi desenhado por Bartolomeo Manfredi que era matemático e astrólogo. O mostrador marca as horas em algarismos romanos e dá informações sobre a posição das estrelas.








 

Palazzo Te: Considerada Patrimônio Mundial pela Unesco, Mantova preserva muitos palácios e palacetes em estilo medieval, alguns deles construídos pela poderosa família Gonzaga que desenvolveu em Mantova um patrimônio cultural e artístico de grande valor. Uma dessas heranças é o Palazzo Te, atualmente funcionando como Museu Cívico com muitas obras de arte.


 
 
 
Construído para ser uma estância de verão da família Gonzaga, no luxuoso palácio eram celebradas muitas cerimônias e festas. Os símbolos da arte romana e símbolos pagãos da mitologia estão presentes em diversos aposentos. Cada sala tem uma pintura que lhe dá um nome, como a Sala dos Gigantes, Sala dos Grandes Cavalos, Sala de Amor, Sala das Águias, Sala dos Ventos e do Zodíaco, a Galeria de Honra chamada Loggia d'Onore e outras.











Palazzo Ducale: Na Piazza Sordello está a entrada principal do Palazzo Ducale que foi a residência dos Gonzaga. O imenso conglomerado de prédios e jardins são conectados por corredores e galerias. Construído na forma de uma pequena cidade, integra também o Domus Magma, o Palazzo del Capitano e o Castel San Giorgio.

A catedral de Mantova também faz parte da Piazza Sordello, que é a principal praça da cidade. Construída no início da era cristã, a catedral foi reconstruída depois de vários incêndios o que contribuiu para que tivesse uma mistura de estilos.









Basílica Sant'Andrea: Na Piazza Mantegna a bela Basílica de Sant'Andrea conserva na cripta o "Cálice Sagrado", que a tradição cristã afirma conter o sangue de Jesus. Segundo a tradição, no momento do sepultamento o centurião romano Longino quis certificar-se que Jesus estava realmente morto. Para isso ela perfurou o corpo de Jesus com uma lança e, ao respingar em seus olhos curou-o imediatamente de uma doença nos olhos.

Naquele momento Longino reconheceu Jesus como filho de Deus.  Arrependido, ele apanhou um pouco do sangue de Jesus que tinha caído na terra e levou consigo abandonando o exército romano. Por ter se tornado um monge, Longino passou a ser perseguido e teve sua lingua cortada. Foi condenado, mas antes de ser decapitado ele escondeu a relíquia.

Anos mais tarde a relíquia foi encontrada e confirmada pelo Papa. E assim Mantova tornou-se um local de peregrinação. Atualmente, na sexta-feira santa o cálice sagrado é exposto à visitação na Basílica de Sant'Andrea em Mantova.

San Longino ou São Longuinho: Dizem que por isso San Longino ou São Longuinho tornou-se padroeiro dos objetos perdidos ou escondidos. No Brasil tem a crença de que o santo ajuda a encontrar objetos perdidos.

É por isso que quando se quer achar um objeto perdido diz-se: " São Longuinho, São Longuinho, se eu achar meu objeto perdido, dou três pulinhos e três gritinhos. " E quando se encontra o objeto perdido, dá-se os três pulinhos dizendo: - " Achei São Longuinho, achei São Longuinho, achei São Longuinho!... " O mais curioso é que ninguém sabe de onde veio essa superstição saltitante...

 

10 comentários:

  1. Minha avó nasceu em Mantova !!!obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Minha avó nasceu em Mantova !!!obrigada!

    ResponderExcluir
  3. O sobrenome de minha família é "MINARI" e meu avô nasceu em Mantova. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mãe do meu bisavô se chamava Itala Minari. Seu filho (meu bisavô) veio para o Brasil em 1904 e seu nome era Riccardo Vestina.

      Excluir
    2. A mãe do meu bisavô se chamava Itala Minari. Seu filho (meu bisavô) veio para o Brasil em 1904 e seu nome era Riccardo Vestina.

      Excluir
  4. Família Ferrari de Mântua...

    Domenico Ferrari

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raphael meu avô é de Mantova João Ferrari.Obrigado vou pesquisar mais.

      Excluir
  5. Minha família é da região de Mantova.
    Bogoforte.
    Salute famiglia Leonardi!

    ResponderExcluir
  6. Meu sobrenome e gonzaga se alguem puder me ajudar encontrar meus ancestrais.

    ResponderExcluir
  7. Meus bisavós, Dario Secondo Broglio e Letizia Maria Germiniasi, nasceram em Mantova, na Comune de Goito. Em junho realizarei meu sonho de conhecer o lugar onde minha família começou...

    ResponderExcluir

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.