29 abril 2015

Caterina di Siena, a protetora da Europa e da Itália

 
 
 
 
Após uma descida íngreme, ao final da Via Pittore em Siena está o Santuário e Casa di Santa Caterina, um lugar que atrai muitas peregrinações. A entrada através dos pórticos dá acesso à Casa di Santa Caterina, tendo sido transformada em santuário em 1464 e onde estão vários documentos relacionados com a sua vida e pinturas que descrevem sua trajetória. Várias peças e esculturas enfeitam os altares e oratórios.


 
 
 
Nascida em Siena no ano de 1347, a pequena Caterina Benincasa era filha de um casal que já tinha 23 filhos. Quando completou 6 anos, ela teve a sua primeira experiência mística com a visão de Jesus. Na adolescência Catarina se recusava a casar, por isso foi incumbida de fazer todos os trabalhos da casa. Humildemente, tudo ela suportou por amor a Deus. Tornou-se vegetariana, fez voto de castidade e muitas vezes se dedicava ao jejum.


 
 
Aos 20 anos ela entrou para o convento, quando teve uma nova visão mística na qual foi incumbida de se dedicar à orientação espiritual de todos que a procurasse. Uma só palavra de sua boca curava doentes e expulsava maus espíritos. Apesar de ser analfabeta, pelo auxílio divino ela começou a ler e a escrever. Por muitos anos ela permaneceu em silêncio, apenas escrevendo.
 

 
 
A vida mística e a fama de Catarina atravessaram a Europa. Durante a "Cisma do Ocidente" o Papa esteve exilado na França por mais de 70 anos. Apesar de muitos terem rogado, somente a Cruzada da Paz feita por Catarina teve sucesso e trouxe o Papa de volta para Roma. Nessa época houve uma grande confusão, já que o legítimo papa  encontrou seu lugar em Roma ocupado pelo anti-papa Clemente VII.
 
 
 
 
Mais uma vez Catarina se dedicou à renovação da igreja católica. Já com suas forças esgotadas, ela faleceu em 29 de abril de 1380 na cidade de Roma aos 33 anos. Em Roma e na Igreja de San Domenico em Siena repousam os restos mortais da santa, que foi canonizada em 1461 como Caterina di Siena. Declarada a padroeira da Europa e a segunda padroeira da Itália junto com São Francisco de Assis, é também considerada a protetora dos enfermeiros e enfermeiras.
 
 
Igreja de San Domenico
 
O último suspiro de Catarina selou para sempre suas incontáveis cartas de amor pela fé cristã e em defesa da igreja. Catarina foi uma das importantes místicas e escritoras da Igreja. Ainda hoje é respeitada por suas obras espirituais e sua atuação política.
 
Perante à história ela foi alguém que teve coragem de dizer a verdade ao poder. Esse foi um feito excepcional para uma mulher de seu tempo, capaz de influenciar a política e a história de sua época. Certa vez afirmou: " A paciência vos tornará perseverante e vossa inteligência se iluminará com a verdade..." 
 


Igreja de San Domenico

3 comentários:

  1. Lucia, boa tarde.
    Gosto imensamente de visitar este blog. Agradeço por tantas belezas partilhadas, desejando um feliz ano novo, com um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Siena é uma cidade realmente encantadora. Depois, que a visitei me tornei devota de Santa Caterina. Que sempre atende aos meus pedidos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela excelente escolha em divulgar a bela Itália-minha segunda pátria- onde me vejo correr pelas colinas e adentrar lindas e maravilhosas igrejas!
    As paisagens são belíssimas e a cultura farta! Obrigada!!!

    ResponderExcluir

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.