29 março 2017

Ilha San Giorgio Maggiore




Veneza é uma cidade onde muitas torres sineiras se destacam na paisagem. Porém há uma torre que os venezianos amam mais que outras, isso porque é por trás dela que o sol se põe no final da tarde. Ela faz parte da Igreja de San Giorgio Maggiore, que se encontra na ilha de mesmo nome.




Na época do imperador romano Augusto,  a ilha pertencia a uma nobre família romana e era conhecida como InsulaMemnia. Também chamada de Ilha de ciprestes, tinha poucos habitantes que trabalhavam com o sal e um moinho de vento, até que em 982 o Doge Tribuno Memno passou a ilha para a Ordem Beneditina. A partir daí a ilha passou a ter muita importância.




Graças às intervenções do Doge Sebastiano Ziani, a ilha passou a ser embelezada. Porém um terremoto em 1223 causou uma devastação que destruiu a igreja e o mosteiro beneditino. A reconstrução foi longa e trabalhosa, mas levou à consagração de uma nova igreja em 1419.

A partir de 1433 Cosimo I de Medici, que tinha sido exilado de Firenze, passou por um breve período de exílio na ilha. Nesse período ordenou a construção de uma magnífica biblioteca, porém um incêndio destruiu todas as obras. A partir dessa época foi construído o primeiro claustro do convento, trazendo destaque para a ilha. O claustro mais recente foi erguido entre 1576/1614.




A construção que hoje vemos da Igreja de San Giorgio foi iniciada em 1566. Foi projetada em estilo neoclássico pelo arquiteto Andrea Palladio, que faleceu antes de termina-la. Após a sua morte em 1580, o projeto foi entregue a Baldassarre Longhena, que concluiu a obra em 1610. Na fachada a igreja tem as imagens de Santo Estefano e San Giorgio, além dos bustos dos Doges Tribune Memmo e Sebastiano Ziani.






Na decoração interna há muitas obras artísticas de Jacopo Tintoretto e uma obra de Leandro Bassano com um episódio da vida de Santa Lúcia. Também pode-se admirar pinturas notáveis de Carpaccio, Palma e Sebastiano Ricci. "A queda do maná", "Apedrejamento de St Stephen", "A Última Ceia" e "Depósito", são obras do período entre 1592 e 1594. 




A torre do sino, que foi concluída em 1467, entrou em colapso em 1774 e logo foi reconstruída. Com seus 75 metros de altura, a torre está entre as maiores de Veneza e de onde se tem uma deslumbrante vista panorâmica da laguna.





Com o fim da República de Veneza em 1797, a ilha perdeu sua importância. O convento foi suprimido por Napoleão em 1806, mas a basílica foi reaberta em 1808. Transformada em porto livre, alguns anos depois a ilha caiu em estado de decadência e abandono.


Teatro Verde

Somente em 1951 a ilha de San Giorgio foi revitalizada com a implantação da Fondazione Cini, que foi feita pelo Conde Vittorio Cini em homenagem à seu filho, morto tragicamente num acidente de avião. A Fundação tem se encarregado da recuperação das construções, mas também da paisagem com a criação de parques, jardins e até mesmo um pequeno teatro de inspiração clássica, chamado de Teatro Verde.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.