14 setembro 2010

Modena, onde nasceu Luciano Pavarotti


Com inúmeros monumentos medievais, Modena é uma das mais importantes cidades da Emilia Romagna. Com seus admiráveis tesouros arquitetônicos e sua hospitalidade centrada na boa cozinha, a cidade tem uma beleza mística que encanta pela fascinante mistura de tradições e modernidade.

Ferrari em Maranello
Museu Enzo Ferrari em Modena
Museu Enzo Ferrari em Modena
Museu Enzo Ferrari em Modena
Museu Ferrari em Maranello

Modena é uma região industrial conhecida como a "Capital dos motores" onde estão as fábricas de carros esportivos das marcas mais prestigiadas do mundo, como De Tomaso, Lamborghini, Pagani, Maserati e Ferrari, um lugar fascinante para quem tem paixão por engenharia automotiva e velocidade. 

Há um museu dedicado a Enzo Ferrari que funciona na casa onde ele nasceu e que mantém registros de sua vida extraordinária. Ao lado, numa galeria futurista, estão diversos modelos e a história do automobilismo de Modena. A Ferrari está a 16 quilômetros de Modena onde também existe o Museu da Ferrari em Maranello.

Modena: centro histórico / Via Emilia
Palazzo Comunale

Antiga cidade de origem etrusca chamada na antiguidade de Mutina, Modena foi uma colonia romana em 183 a.C. É atravessada pela antiga estrada romana Via Emilia, que foi construída pelos romanos. Ao longo da Via Emilia estão os principais monumentos de Modena e os pórticos que permitem transitar no centro da cidade protegido da chuva e do frio no inverno, bem como do calor durante o verão.

A cidade foi um domínio da poderosa e lendária Condessa Matilde Canossa. Após sua morte em 1115, por não ter deixado herdeiros, suas propriedades foram transferidas aos domínios da Santa Sé até ser incorporada aos domínios da Família Este. Identificados como Senhores de Modena desde 1288, a Família Este governou Modena durante muitos séculos, mas só se mudaram para Modena quando foram expulsos de Ferrara em 1598 pelas tropas do Papa Clemente VIII. (Leia mais em Emilia Romagna - Ferrara)

A Piazza Grande é o coração da vida de Modena e o local onde estão os monumentos mais significativos. O Palazzo Comunale foi construído ao longo da Idade Média pelos duques da Família Este. Enfrentando rebeliões os duques resistiram no poder até 1859, quando revolucionários invadiram a cidade anexando-a ao Reino da Itália.



Ao lado do Palazzo Comunale está a bela Catedral de Modena com sua Torre Ghirlandina de 86 metros que é um símbolo de Modena. A construção da catedral e do campanário teve início em 1099 por ordem da Condessa Matilde de Canossa mas só foi concluída quase 100 anos depois. Originalmente a torre do sino não era tão alta, mas devido às rivalidades com as torres de Bologna, ela foi acrescida com a ponta octogonal.

A Catedral foi construída sobre o túmulo de San Geminiano e dizem que o santo foi escolhido como padroeiro da cidade devido a um milagre. Átila, o mais poderoso Rei dos Hunos, era conhecido como um dos maiores inimigos do Império Romano e famoso por suas crueldades. Quando Átila se preparava para atacar Modena aconteceu algo inusitado; subitamente a cidade foi encoberta por um denso nevoeiro fazendo os hunos desistir do ataque. O milagre foi atribuído a San Geminiano que nasceu em Modena.  

Há diversas igrejas na cidade como a Igreja de San Agostino do século 14, a Igreja de San Vincenzo, a Igreja de Santa Maria della Pomposa de 1135 que dizem ser a mais antiga, a Igreja de San Giovanni Decollato, a Igreja de São Francisco construída pelos franciscanos durante dois séculos a partir de 1244 e também uma sinagoga.

Palazzo Ducale
Pallazina Vigarani

Situado na Piazza Roma, o Palácio Ducale construído pela Família Este é um dos mais importantes do século 17 e revela o esplendor da corte de Modena. No antigo palácio funciona atualmente a Academia Italiana Militar onde são treinados os oficiais e o Museu Histórico da Academia. Com uma majestosa fachada, a porta principal conduz ao elegante pátio principal usado para cerimônias militares.

Em frente ao palácio há um monumento construído em 1879 dedicado à memória de Ciro Menotti. Com forte senso patriótico, o objetivo de Menotti era libertar o ducado de Modena do domínio da Áustria. Tornando-se líder de um movimento revolucionário, Menotti foi condenado à morte na forca em praça pública. A imagem de Menotti segurando a bandeira parece olhar para as janelas do palácio de onde o duque assinou sua sentença de morte.

O Parco Estense é um local arborizado tendo em destaque a Pallazina Vigarani que preserva personagens clássicos do século 17. Construída em 1632, o jardim Estense teve origem quando do Duque Cesare d'Este mandou construir um muro de proteção em 1598.

O Jardim Botânico de Modena foi criado em 1758 por ordem do Duque Francesco d'Este III, que decidiu destinar uma parte dos jardins para plantas medicinais. Posteriormente mandou trazer outras plantas exóticas entregando a área aos cuidados da universidade de botânica.

Forum Boarium
Palazzo dei Musei

Em Modena está uma das mais antigas universidades do mundo fundada em 1175. Depois que a Família Este se mudou para Modena o Duque Francesco d'Este II ordenou em 1686 a expansão da universidade que se tornou tradicional por seus cursos de economia, medicina e direito. Na Biblioteca Estense estão milhares de volumes históricos e 3.000 manuscritos.

O Fórum Boarium é uma estrutura construída em 1831 pelo Duque Francesco IV d'Este. Tinha a função de mercado para o gado e armazenamento de alimentos, mas logo tornou-se um quartel. Desde 1994 no local funciona a Faculdade de Economia da Universidade de Modena.

AcademiaAtestina de Belas Artes

Luciano Pavarotti

A Academia Atestina de Belas Artes foi fundada em 1785 por Ercole d'Este III, fazendo florescer a arte e cultura de Modena. A Galeria Estense, que funciona no piso superior do Palazzo dei Musei, possui uma importante coleção que testemunha o interesse dos Senhores Este por todos os tipos de arte que inclui pinturas e esculturas de grande valor. No mesmo local funciona outros museus, galerias e instituições culturais.

O Teatro Comunale foi criado em 1838 como uma casa de ópera. Posteriormente passou a chamar-se Teatro Luciano Pavarotti em homenagem ao ilustre cantor nascido em Modena. Tendo sido um dos maiores tenores mais bem sucedidos de todos os tempos, Pavarotti alcançou grande repercussão no mundo sendo um exemplo de esforço e determinação. Falecido em 2007, o cantor teve detaque também por seu notável trabalho de caridade, tendo sido nomeado pelas Nações Unidas como Mensageiro da Paz.



Modena tem destaque na culinária italiana principalmente por produzir artesanalmente o verdadeiro aceto balsamico, que dá um paladar especial a saladas e até sobremesas, como por exemplo, o Zabaione e a Panna cotta. A receita tradicional do vinagre balsâmico é feita com a redução ou cozimento de suco de uvas Trebbiano que são cultivadas apenas em Modena. Não se trata de um vinagre comum, sendo produzido apenas nas regiões de Modena e Reggio Emilia desde a época medieval.

O nome “Aceto Balsamico Tradizionale di Modena” ou “Aceto Balsamico Tradizionale di Reggio Emilia” é um produto protegido por denominação de origem controlada (DOC) e pela denominação de origem da união européia. O vinagre balsâmico tradicional é altamente apreciado por chefs e gourmets em todo o mundo. O sabor se intensifica ao longo de décadas, com o vinagre sendo mantido em tonéis de madeira fina, tornando-se doce, viscoso e muito concentrado.

Durante o período, uma proporção evapora e é dito que esta é a “parte dos anjos”, um termo também usado na produção de uísque escocês, vinho e outras bebidas alcoólicas. O produto envelhece no mínimo por 12 anos podendo passar até 25 anos no barril. É um produto de âmbito familiar, tradicional, artesanal e muito delicado, por isso caro e difícil de ser encontrado até mesmo na Itália. É tradição em Modena guardar o Aceto Balsâmico como uma relíquia de família. Em algumas épocas as fazendas abrem suas adegas para os visitantes.

Um comentário:

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.