02 fevereiro 2012

Terni, a cidade do amor e dos enamorados






Situada na região da Úmbria, a cidade de Terni tem muitos anos de história para contar e um traço marcante:  a mudança. Fundada pelos úmbrios no século 7 a.C., a cidade foi conquistada pelos romanos, restando vestígios preservados daquela época, além de muitos prédios medievais, igrejas e palácios antigos que contrastam com uma cidade moderna e industrializada.






Poucos anos após a unificação da Itália, Terni se tornou uma cidade moderna sendo o mais importante complexo industrial no centro da Itália. A cidade se expandiu dando origem a modernos edifícios, lojas, shoppings e uma rede de hotéis e restaurantes que recebem muitos turistas atraídos pelas belezas naturais que dominam o coração verde da Úmbria.




Depois da Segunda Guerra Mundial, muitos prédios da cidade histórica de Terni foram restaurados. Com várias praças, a Piazza della Repubblica é o coração da cidade histórica onde está a atual Biblioteca Pública que perdeu sua torre e foi substituída por uma moderna torre de vidro.




O chafariz no centro da Piazza Tacito marca o Palácio do Governo, simbolizando a força das águas que produzem eletricidade. A fonte foi decorada em mosaicos representando os 12 signos do zodíaco. A praça mais antiga da cidade é a Piazza Clai do período medieval que foi modernizada no século 20.





Na Piazza del Popolo está o Palazzo Spada e existem ainda inúmeros palácios que pertenceram a tradicionais famílias de Terni, como o Palazzo Carrara, Palazzo Gazzoli, Palazzo Manassei, Palazzo Mariani, Palazzo Mazzancolli, Palazzo Montani. O ponto mais alto da cidade histórica é a Torre Barbarasa. Construída no século 13, era uma forma proteção da cidade.



Catedral de Terni
Igrejas de Terni: Algumas igrejas de Terni foram construídas sobre templos pagãos, como a Igreja de San Salvatore construída na época romana sobre um Templo do Sol e a Catedral de Terni construída onde havia as ruínas de um Templo de Júpiter.



Igreja de São Francisco

As igrejas de San Cristoforo e de San Francesco e o convento de Santa Maria delle Grazie estão relacionados à vida de São Francisco de Assisi. Movido pelo seu sentimento de viver junto à natureza, o santo peregrinou por todo o vale de Terni nos anos de 1200. As trilhas franciscanas levam a lugares únicos, onde São Francisco se retirava para meditar nas grutas entre grandes florestas e montanhas íngremes.



Igreja San Valentino

Por ser a cidade onde nasceu San Valentino, o protetor dos apaixonados, Terni é chamada a Cidade do Amor e dos Enamorados. Nascido em Terni, a respeito de San Valentino foram criadas inúmeras lendas.

Em uma delas, dizia-se que um centurião romano passando por Terni se apaixonou por uma moça. Na véspera do casamento descobriu-se que o jovem estava muito doente e quando ele estava prestes a morrer pediu para que não fossem separados. Valentino levantou as mãos e os dois jovens dormiram abraçados no seu sono eterno de amor.

Outra lenda defende que o Imperador Romano Claudius II teria proibido os casamentos para angariar mais soldados para as suas frentes de batalha. San Valentino teria violado este decreto imperial e realizado casamentos em sigilo absoluto. Este segredo teria sido descoberto e Valentino teria sido preso, torturado e condenado à morte.

Valentino deriva da palavra latina "valor" ou seja "ser saudável" e foi uma dessas curas que levou ao seu martírio. Ainda jovem diácono, sua fama se espalhou por toda a Umbria devido às curas que propiciava em nome da fé. Chamado a Roma devido à uma grave doença do filho do famoso ateniense Chaeremon Cráton, a criança foi curada e o ateniense se converteu ao cristianismo.

O fato causou sensação causando uma peregrinação à casa de Valentino e muitas pessoas se converteram ao cristianismo. Convidado a participar do sacrifício aos deuses romanos, Valentino recusou e foi decapitado em 14 de fevereiro. O corpo de Valentino foi levado de volta à Terni e enterrado em uma colina fora dos muros da cidade que mais tarde se tornou a Basílica de San Valentino, o padroeiro da cidade.




Dia dos Enamorados: A cada ano na semana de 14 de fevereiro realizam-se em Terni os "Eventi Valentiniani" com conferências para casais, eventos culturais, recreativos, religiosos, cardápios especiais nos restaurantes e o Cioccolentino, um festival de chocolates.

Dizem que o diácono Valentino tinha o costume de presentear os nubentes com uma rosa vermelha, símbolo de amor verdadeiro e duradouro. Assim criou-se a tradição de oferecer rosas vermelhas no Dia dos Namorados.

Muitos devotos vão à Basílica de San Valentino em Terni para agradecer a felicidade a dois. Outros tantos usam os poderes de Valentino para encontrar um grande amor ou para reconquistar um amor perdido. No meio da Basílica existe um poço onde os enamorados de todo mundo depositam suas mensagens de amor.




Existem várias teorias sobre a origem do Dia dos namorados, contudo a mais antiga está relacionada à Roma antiga onde havia a Lupercália, um festival pastoril romano celebrado em Fevereiro. A festa simbolizava a purificação e homenageava Juno, a deusa associada à fertilidade e ao casamento.

Realizada na gruta de Lupercal no monte Palatino, uma das sete colinas de Roma, a Lupercália reunia anualmente um grupo de sacerdotes, os Luperci - amigos do lobo, que eram eleitos entre os mais ilustres da cidade. No dia da festa os luperci sacrificavam dois bodes e um cão, vestiam as peles dos animais simbolizando Fauno Luperco e com as tiras das peles chicotevam o povo, principalmente as mulheres inférteis.

A cerimônia da Lupercália servia para espantar os maus espíritos e purificar a cidade, assim como para dar saúde e fertilidade às pessoas açoitadas pelos lupercos. A tradicional festa, tão antiga como a própria história de Roma, perdurou durante 800 anos. No entanto, em 496 d.C. o Papa Gelásio I decidiu transformar esta festividade pagã numa celebração cristã, instituindo o dia 14 de fevereiro como o Dia de San Valentino, que posteriormente se tornou o Dia dos namorados.





Sitio arqueológico: Situada em uma planície entre dois rios, no passado a cidade era chamada pelos romanos de Interamna. As ruínas da cidade romana de Carsulae é um dos sítios arqueológicos mais importantes da Úmbria.

A famosa Via Flaminia construída em 220 a.C. atravessa a cidade de norte a sul, mantendo um piso intacto junto a uma paisagem exuberante. Além do belo trecho da Flaminia, estão os templos dedicados aos gêmeos Castor e Pólux da mitologia grega, os banhos públicos, o teatro e anfiteatro, o Arco de São Damião e os túmulos monumentais.






Cascatas del Marmore: Considerada a maior cachoeira da Europa, as Cascatas de Marmore é  um dos espetáculos de Terni. Localizada na área protegida do Parque do Rio Preto, é uma área de grande valor ambiental. 

Através de trilhas, é possível observar a cachoeira bem de perto, uma emoção de contato direto com a natureza onde se pode praticar esportes como rafting, canoagem, caiaque. A cachoeira de 165 metros de altura remonta ao ano 271 a.C., um trabalho formidável da engenharia romana que serviu para facilitar o fluxo das águas do Rio Velino que inundava constantemente as vastas extensões de terra.


2 comentários:

  1. Há 8 anos visitei esta linda cidade, tendo me hospedado por 2 meses. É muito linda , as suas ruelas,os calçadões,La fontana Tácito, bela Biblioteca, seu povo com geito medieval, suas ruínas deixadas em muros e Igrejas, Piedeluque, Cachoeira do Mármore. Quando me despedi deixei uma poesia em homenagem à cidade ternura:

    TERNI CIDADE TERNURA



    A cidade Italiana de Terni
    com carinho.




    Terni das montanhas onduladas,
    das fontes de águas cristalinas,
    reluzentes, nas frias madrugadas,
    no orvalho puro das campinas.


    Esponsal de tempo amadurecido,
    Nas cicatrizes da dolorida guerra,
    O teu semblante – no instante sofrido,
    A resignação deste pedaço de terra.


    Tuas belezas, os calçadões, as lindas praças,
    As ruas alegres que tanto encantam,
    Florescem nas janelas cores de graças,
    Felicidades de luzes que se levantam.


    Cidade ternura dos madrigais,
    • “Piazza de La fontana” a cantar;
    Canções, saudade, de nunca mais,
    Esquecer o teu perfume, o teu olhar.








    Antonio Carniato Filho
    Academia Santaritensse de Letras

    .

    ResponderExcluir
  2. Lindíssima poesia à Cidade do amor e dos namorados, publicada também no livro "Itália um Sonho" do autor da mesma. Memorável homenagem.
    Sergio Luiz Miotto.

    ResponderExcluir

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.