07 fevereiro 2013

Monza, um circuito de grande prestígio



Monza é mundialmente conhecida por ter um dos melhores autódromos e um dos circuitos de maior prestígio no mundo. Considerada como um subúrbio chic de Milão, a cidade tem um estilo medieval surpreendente e encantador, com famosas lojas de grife, estupendos hotéis e restaurantes. É uma das maiores cidades da Lombardia que mantém um ritmo tranquilo de viver.  
 

 
 


Um dos símbolos de Monza é o Arengário na Piazza Roma que foi no passado o antigo Palácio Comunale de Monza. Construído no século 13, a parte inferior era usada como mercado e acima um grande salão era usado para assembléia dos políticos e mercadores.

Da varanda de pedra, chamada La Parlera, eram lidos os decretos para o povo e de onde os priores assistiam as cerimônias que realizavam na praça. Atualmente o Arengário serve como showroom de artes e eventos culturais.

A Piazza Roma é o ponto de partida para conhecer muitos palácios, igrejas e monumentos centenários da cidade por onde transitaram muitos nobres, reis e rainhas que construíram a história de Monza.

Desses nobres destacou-se a bela rainha Teodolinda que em 588 casou-se com Agilulfo coroado rei da Itália. O casal morava em Milão mas Teodolinda, no auge de seus 20 anos, manifestou o desejo de construir um palácio em Monza para passar suas férias de verão.  



 


Conta a lenda que em uma de suas férias Teodolinda estava descansando às margens do rio Lambro, quando teve um sonho com uma pomba que ela interpretou como um símbolo do Espírito Santo. Por isso ela mandou construir em 595 uma capela dedicada a São João Batista. Teodolinda faleceu em 627 e seus restos mortais estão na capela dedicada a ela, além de afrescos que representam a vida da rainha.

A Catedral de São João Batista, com sua notável fachada, foi concluída nos anos de 1300. Ainda hoje a Catedral tem muitos privilégios antigos: é a única igreja do mundo além do Vaticano que possui os Alabardieri, um pequeno grupo simbolicamente armado. Com seu solene uniforme, os Alabardieri acompanham as celebrações da Festa de San Giovane, a Epifânia, Páscoa e outras.  


 


Nos anos 600 os lombardos eram arianos que negavam a existência de Cristo ou pagãos. Para incentivar e fortalecer a fé das pessoas, o Papa Gregório fez a doação de uma série de objetos de culto de grande valor histórico e artístico. Isso tornou famosa a Catedral de Monza por seus tesouros que estão expostos no Museu Serpero.

De todos os tesouros a Corona Ferrea ou Coroa de Ferro é venerada como uma relíquia. Segundo a tradição, a coroa foi feita com um dos pregos usados na crucificação de Cristo. Dizem que no ano 324 quando a Imperatriz Helena empreendeu uma peregrinação à Terra Santa ela teria descoberto a Vera Cruz ou a verdadeira cruz onde Jesus foi crucificado. Por isso ela teria mandado retirar um prego da cruz sagrada e inserido na tiara dada a seu filho, o Imperador Constantino.

Depois de sua morte ela passou a ser reverenciada como Santa Helena, representada por sua roupagem nobre carregando uma cruz. A coroa teria chegado às mãos do Papa Gregório que a ofereceu a Teodolinda. Além de seu valor espiritual a coroa tem valor histórico por ter coroado diversos reis da Itália como Carlos V, Napoleão e outros. 


 
 


Há outras belas igrejas de Monza, entre elas a Igreja de Santa Maria in Strada que foi construída em 1393 em estilo gótico com uma rica fachada trabalhada em terracota, a Igreja de San Pietro Martire, a Igreja de Santa Maria delle Grazie, o Oratório de San Gregório e a Igreja de Santa Maria al Carrobiolo. 

 
 


A Praça Trento e Triestre onde está a Prefeitura ostenta um lindo memorial dedicado à resistência contra o fascismo na Segunda Guerra Mundial. Por ser muito ampla, a praça é o lugar preferido dos jovens e das crianças. Outro ponto de destaque da cidade é a histórica Ponte dei Leoni. Construída sobre o rio Lambro em 1842, a ponte demarcava uma das antigas entradas da cidade.




Entre muitos jardins há vários monumentos na cidade, um deles é o memorial Espiatoria Cappella, construído em 1900 em memória ao Rei Umberto I da Itália que morreu em Monza. Admirado por uns e odiado por outros, durante seu reinado nos anos de 1878-1900 o rei conseguiu salvar-se de dois atentados.

Porém quando foi a Monza participar de uma cerimônia, contrariando as instruções de sua guarda de segurança ele se juntou ao povo que o saudava entre muita música a caminho da Villa Reale. Aproveitando-se da confusão um anarquista se postou-se de frente ao rei e disparou três tiros. A carruagem correu a toda velocidade para salvar o rei, mas nada mais podia ser feito pois o rei já estava morto.


 
 


A Villa Reale é um suntuoso palácio, símbolo de luxo e esplendor da corte dos Habsburgo. Localizado no Parque de Monza, é um dos monumentos mais importantes da cidade. Os jardins da Villa Reale tem grande valor histórico e arquitetônico fazendo uma bela composição com o palácio e os jardins de rosas são um espetáculo fascinante durante a floração.

O palácio foi encomendado pela Imperatriz Maria Teresa da Áustria que presenteou seu filho o Arquiduque Ferdinando da Áustria que desejava ter uma vila fora da cidade para passar a temporada de verão. Construído em 1777 ainda mantém os mesmos traços originais tendo servido de residência aos nobres em várias épocas. 


 
 
 


O Parque de Monza é um dos maiores parques urbanos e históricos da Europa e também um dos maiores cercado por muros. Foi criado em 1806 por arquitetos contratados por Napoleão que desejava uma área arborizada. Por muito tempo foi negligenciado até a criação de várias vilas e do autódromo que deram vida ao parque.





 


O Autódromo de Monza está ao norte do parque tornando a cidade famosa por sediar o Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1 desde 1922. As longas pistas do autódromo são apreciadas pela maioria dos pilotos devido ao seu traçado, sendo considerado o mais veloz da Europa graças às suas retas longas que permitem aceleração máxima. 

Inaugurado em 1922, o circuito plano permite testar mais a potência do motor que as habilidades dos pilotos, por isso é um dos mais emocionantes para quem gosta de velocidade. O trecho mais famoso do autódromo é a curva que ganhou o nome de Parabólica devido ao seu formato próximo ao de uma parábola. 


 



Os italianos são apaixonados por carros e não é por acaso que a Itália se tornou sinônimo de carros de nomes famosos como Alfa Romeo, Ferrari, Fiat, Lamborghini, Lancia e Maserati. E uma grande paixão dos italianos são as corridas de Fórmula 1 e a Scuderia Ferrari.

Com sua história no automobilismo, a Ferrari é a mais antiga scuderia da Fórmula 1 fundada por Enzo Ferrari, um sujeito carismático, empreendedor e sobretudo apaixonado por carros. E quando a Ferrari sobe ao podium é uma explosão de alegria: "Fratelli d’Italia, l’Italia s’è desta..." canta alegremente a multidão vestida de vermelho.  

 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.