26 janeiro 2013

Carpi: traços medievais e receitas tradicionais




Carpi é uma antiga cidade da Emilia Romagna com traços medievais e palácios renascentistas, que contrastam com a modernidade de seus bairros. Situada a poucos quilômetros de Modena, a cidade foi fundada no século 6, sendo um museu a céu aberto e tendo muita história para contar, além da arte, cultura e muitos sabores obtidos através de antigas receitas caseiras.







Piazza dei Martiri: O centro histórico é um dos principais do Renascimento italiano no século 16, reunindo um vasto complexo de construções em estilo barroco e neoclássico com ricas decorações.

A Piazza dei Martiri é a principal da cidade e onde estão os principais monumentos de Carpi. Considerada como uma das mais belas praças da Itália, ela é marcada pelo longo pórtico com sua sucessão de arcos, uma característica de muitas cidades da Emília, que além de proporcionar um cenário especial torna possível caminhar protegido da chuva e neve no inverno ou sol quente do verão. 



Santa Maria in Castello ou La Sagra


Igrejas: A cidade se expandiu, desde as primeiras décadas do século 10, em torno da antiga igreja dedicada a Santa Maria, também chamada "La Sagra", onde estavam concentrados os poderes civis e eclesiásticos.


Igreja São Francisco de Assis
Catedral Santa Maria Assunta

Em toda cidade há também belíssimas igrejas em estilo barroco, como a Catedral de Santa Maria Assunta, a Igreja de San Francesco do século 13, a Igreja de San Bernardino com seu altar dourado, a Igreja de San Nicoló e outras. Em muitas igrejas há belos afrescos e obras de valor artístico considerável.
  





Palazzo del Pio: O Palazzo dei Pio, vulgarmente conhecido como castelo, é o grande destaque da Piazza Martire. Ladeado pela Catedral de Santa Maria Assunta, que tem mais de 300 anos e pelo Teatro Comunale construído em 1861, ao longo dos tempos foram sendo adicionados outros prédios ao velho castelo, transformando-se no grande complexo que vemos hoje.








Atualmente no palácio funcionam vários museus, sendo mais de 14.000 metros quadrados com pátios, varandas, salas, galerias, capelas, biblioteca e uma parte destinada a atividades para os jovens. Existem três rotas de exposição. O Museu do Palácio e o Museu da Cidade contém uma série de exposições cronológicas que narram a história de Carpi e o patrimônio artístico e cultural encontram-se no Museu Cívico.



 
 


A cidade foi um domínio da poderosa e lendária Condessa Matilda Canossa. Após sua morte em 1115, por não ter deixado herdeiros, suas propriedades foram transferidas aos domínios da Santa Sé. A Dinastia Pio era uma linhagem feudal que teve soberania sobre a cidade e territórios vizinhos entre os séculos 14 e 15, tendo transformado a modesta cidade em um lugar de prestígio, até a cidade ser incorporada ao território da família Este de Ferrara em 1530.

Alberto Pio III, que governou Carpi até 1530, foi um amante da literatura e das artes, tendo contribuído muito para o desenvolvimento da cidade nos moldes renascentistas, como a Igreja Colegiada da Assunção e a Loggia do mercado de grãos. Muitas construções foram interrompidas quando a cidade foi entregue aos duques de Ferrara. Devido ao terremoto que atingiu a cidade em 2012, alguns monumentos foram interditados para visitação.




Museu dos deportados de Carpi

Museu dos Deportados: Uma parte do castelo é reservada ao Museu dos Deportados, que mantém a memória dos horrores da Segunda Guerra Mundial. A poucos quilômetros de Carpi está o antigo campo de concentração de Fossoli, para onde eram enviados prisioneiros de guerra e judeus italianos que seriam deportados para os campos da morte em Auschwitz.



Campo de concentração de Fossoli



Entre 1942 a 1944 foi a fase mais trágica quando milhares de prisioneiros partiram dessa área diretamente para as câmeras de gás. Depois da guerra o campo foi usado por algum tempo pelos refugiados e órfãos da guerra até ser abandonado. Recentemente o governo restaurou o campo para preservar a memória dos trágicos acontecimentos daquele campo, que funciona como extensão do Museu dos Deportados do castelo de Carpi.







Teatro: O Teatro Comunale de Carpi é um dos mais importantes da Emilia-Romagna. Situado na Piazza dei Martiri, suas linhas neoclássicas resultam de uma reestruturação em 1861 de um antigo palácio que pertencia ao palácio.  O interior do palácio é deslumbrante, tendo no teto uma bela obra artística.







Piazza Garibaldi: Essa é outra praça de Carpi, muito ampla e com uma sucessão de arcos que dá acesso a outras áreas da cidade, onde encontram-se avenidas largas, arborizadas e margeadas por prédios modernos. Excetuando o centro histórico, belas árvores e jardins enfeitam as ruas e pracinhas, tornando o passeio pela cidade muito agradável.  





Parmegiano Reggiano: Os arredores da  cidade reservam sabores inigualáveis dos produtos típicos de Carpi, que tem suas raízes no passado e chegou aos nossos dias através das receitas e tradições familiares. Um desses produtos é o queijo Parmegiano Reggiano, que mantém a mesma receita por mais de 8 séculos de história.

Ainda hoje mantém a mesma aparência e fragrância graças aos métodos de processamento que se mantiveram inalterados.  Em Carpi há centros de produção desse precioso queijo, sendo que quando é produzido fora de área de produção tradicional é chamado Grana Padano.

Na região dizem que fazer um verdadeiro Parmigiano é uma arte devido ao seu longo processo de maturação. Usado em inúmeros pratos como condimento ou recheio, até mesmo a casca é valorizada e aproveitada para dar sabor a caldos e cozidos. 





Cotechino di Modena: Uma delícia dessa região é o Cotechino di Modena, uma especialidade que foi inventada nos anos de 1500, como uma forma de preservar a carne de porco. Outra especialidade é Zampone. O presunto de Modena tem origens muito antigas. Em Carpi há também muitas massas caseiras recheadas com diversos ingredientes, que faz a fama dos Tortellini de Carpi.

Nocino: Especialidade da terra, Nocino ou Licor de nozes tem uma preparação cheia de detalhes. Segundo a tradição, a receita do licor deve aguardar a maturação exata do fruto da nogueira. Não pode ser colhido antes, porque não tem gosto. Não pode passar da época, porque se torna lenhosa. Os frutos devem ter a casca verde e ser levados em infusão. Além disso, só pode ser filtrado na lua minguante e ser deixado em um vidro escuro para que mantenha o verdadeiro sabor das nozes.




Festival de Lasagna e Lambrusco: Todos os anos em Carpi é realizado o Festival de Lasagna e Lambrusco. Inconfundível na cor, aroma e sabor, o Lambrusco é a combinação perfeita para os pratos típicos de Carpi.

Especialmente a lasanha, ao longo dos tempos foi ganhando novas versões de receitas caseiras, dando origem à Lasagna a Bolognesa. Os gregos e os romanos chamavam de "lasagna" as tiras de massa cortadas em quadrados, que eram cozidas e temperadas ou recheadas com legumes e queijo. Essa foi uma iguaria muito apreciada por grandes personagens da antiguidade como Platão, Sêneca, Cícero e outros. 



Um comentário:

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.