13 fevereiro 2016

Dia de San Valentino ou Dia dos Namorados


A cada ano em 14 de fevereiro celebra-se na Itália o Dia de San Valentino ou o Dia dos Namorados. Entre lendas e teorias, contam que a origem mais antiga do Dia dos Namorados está relacionada com a Roma antiga. Naquela época havia a Lupercália, um festival pastoril romano celebrado em fevereiro e dedicado a Juno - a deusa associada à fertilidade e ao casamento.



Lupercália: Realizado na gruta de Lupercal no Monte Palatino - uma das sete colinas de Roma - o festival simbolizava a purificação. Na ocasião um grupo de sacerdotes se reunia. Chamados Lupercos ou amigos do lobo, eles eram eleitos entre os mais ilustres da cidade.

No dia da festa eram sacrificados dois bodes e um cão. Vestidos com as peles dos animais representando Fauno Luperco, com as tiras das peles os lupercos chicoteavam o povo, principalmente as mulheres inférteis. A cerimônia da Lupercália servia para espantar os maus espíritos e purificar a cidade, assim como para dar saúde e fertilidade às pessoas açoitadas pelos lupercos.




San Valentino: Tão antiga como a própria história de Roma, a tradicional Lupercália perdurou por 800 anos. No entanto, em 496 d.C. o Papa Gelásio I decidiu transformar esta festividade pagã numa celebração cristã, instituindo o dia 14 de fevereiro como o Dia de San Valentino, que posteriormente se tornou o Dia dos namorados.

Considerado o protetor dos enamorados, San Valentino nasceu em Terni e a seu respeito existem  inúmeras lendas. Em uma delas, dizia-se que um centurião romano passando por Terni se apaixonou por uma moça. Na véspera do casamento descobriu-se que o jovem estava muito doente e quando ele estava prestes a morrer pediu para que não fossem separados. Valentino levantou as mãos e os dois jovens dormiram abraçados no seu sono eterno de amor.

Outra lenda conta que o Imperador Romano Claudius II teria proibido os casamentos para angariar mais soldados para as suas frentes de batalha. San Valentino teria violado o decreto imperial e realizado casamentos em sigilo absoluto. Este segredo teria sido descoberto e Valentino teria sido preso, torturado e condenado à morte.

Valentino deriva da palavra latina "valor" ou seja "ser saudável" e foi uma dessas curas que O levou ao martírio. Ainda jovem diácono, sua fama se espalhou por toda a Umbria devido às curas que propiciava em nome da fé. Chamado a Roma devido à uma grave doença do filho do famoso ateniense Chaeremon Cráton, a criança foi curada e o ateniense se converteu ao cristianismo.

O fato causou sensação causando uma peregrinação à casa de Valentino e muitas pessoas se converteram ao cristianismo. Convidado a participar do sacrifício aos deuses romanos, Valentino recusou e foi decapitado em 14 de fevereiro. O corpo de Valentino foi levado de volta à Terni e enterrado em uma colina fora dos muros da cidade, que mais tarde se tornou a Basílica de San Valentino, o padroeiro da cidade.





Dia dos Namorados: A cada ano na semana de 14 de fevereiro realizam-se em Terni os "Eventi Valentiniani" com conferências para casais, eventos culturais, recreativos, religiosos, cardápios especiais nos restaurantes e o Cioccolentino, um festival de chocolates.

Muitos devotos vão à Basilica de San Valentino em Terni para agradecer a felicidade a dois. Outros tantos usam os poderes de Valentino para encontrar um grande amor ou para reconquistar um amor perdido.

No meio da Basílica existe um poço onde os enamorados de todo mundo depositam suas mensagens de amor. Dizem que o diácono Valentino tinha o costume de presentear os nubentes com uma rosa vermelha, símbolo de amor verdadeiro e duradouro. Assim criou-se a tradição de oferecer rosas vermelhas no Dia dos Namorados...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.