11 março 2016

Módica, terra do chocolate na Sicilia



Entre as cidades históricas da Sicília, Módica encanta os turistas com sua arquitetura barroca, sua bela praia e principalmente com seus deliciosos chocolates. Situada sobre as colinas da província de Ragusa, a cidade é dividida por vales profundos.






A parte mais antiga da cidade é chamada Alta Módica ou Módica Superior. Bassa Módica ou Modica Inferior é a parte mais recente ao longo do fundo do vale. Há também a Módica Sorda, a terceira parte da cidade que é um subúrbio moderno separado da parte histórica.


vista panorâmica da Ponte Guerrieri
  
Ponte Guerrieri

Ponte Guerrieri: Um dos melhores lugares, de onde pode-se desfrutar uma bela vista panorâmica, é o longo viaduto de 550 metros que liga as colinas de Módica. Construída em 1967, até recentemente a Ponte Guerrieri ou Ponte dos Guerreiros era considerada a maior ponte da Europa.

Devido à sua arquitetura em estilo barroco, Módica é considerada pela Unesco como um Patrimônio Mundial. Muitas construções da cidade apresentam suas formas originais, porém outros tantos monumentos não resistiram a um terremoto que atingiu a cidade em 1693.

O violento abalo sísmico, que marcou 7.4 na escala Richter e vitimou 3.000 pessoas, destruiu construções, derrubou torres, obstruiu cavernas e enterrou boa parte da história da região. Durante a reconstrução da cidade em 1700, algumas fachadas ganharam um suntuoso acabamento.


Palazzo Salemi

Palazzo del Comune

Palazzo del Comune




Corso Umberto I: O Palazzo del Comune e o Palazzo Salemi com seus elegantes pórticos, marcam o início do Corso Umberto na Bassa Módica, a principal rua que corta a parte baixa da cidade, onde estão antigas e importantes construções.

Na fachada do Palazzo del Comune existe uma escultura em alto relevo que destaca as regiões da Sicília. Logo adiante o Palazzo Salemi, construído originalmente entre 1631 al 1640, leva o nome de seu antigo proprietário. Aliás é muito comum encontrar uma placa indicando o nome das famílias que ali vivem ou viveram nos prédios históricos ou que possuem relevância artística.







Elegantes construções dos séculos 18/19 margeiam o Corso Umberto I.  É nessa região que está concentrado o maior movimento, devido à presença de lojas, cafés, restaurantes, escolas e prédios públicos.

Uma das construções de destaque é o Teatro Garibaldi construído em 1815. Originalmente era chamado Teatro Real de Ferdinando em honra do governador da época. Recentemente foi restaurado e aberto ao público. 




Chocolates de Módica: Quem chega em Módica é bem recebido pelo Centro de informações turísticas, que indica todas as atrações da cidade, tal como museus, igrejas, restaurantes e principalmente as lojas dos famosos chocolates de Módica.

Na cidade existem muitos fabricantes de chocolate e quem quiser aproveitar as amostras grátis, poderá transformar o tour pela cidade numa verdadeira peregrinação gastronômica. Famosa é a Dolceria Antica Bonajutos situada no Corso Umberto.

Há também a Dolceria Rizza e o Caffè dell'arte, que vende sua própria marca de chocolate com uma variedade de deliciosos sabores. Além dos sabores tradicionais como baunilha e canela, há também outros sabores de pimenta e sal do mar.





Museu do Chocolate

Festival Chocobarroco

Museu do Chocolate: Segundo a história, quando os espanhóis dominaram a Sicilia no século 16, eles teriam trazido para a ilha as primeiras sementes de cacau proveniente da América. Assim teve início a tradicional produção artesanal de chocolates em Módica.

Ainda hoje se utiliza uma antiga metodologia Azteca de produção do "xocatl", que dá a cor escura ao chocolate, com aspecto rústico e gosto aveludado. Ao contrário do produto doce e cremoso que hoje conhecemos, na antiguidade o chocolate original era amargo e usado para enriquecer molhos para carnes e pulverizado sobre saladas.

No Museo del Cioccolato existe uma deliciosa galeria de esculturas de chocolates e uma ampla documentação que conta e história do chocolate de Módica. Através de gerações, diversas famílias vem trabalhando com o chocolate, sempre buscando novos sabores adaptados aos gostos mais modernos.

Geralmente em dezembro acontece o Chocobarocco, um festival que dura alguns dias e movimenta a cidade atraindo muitos turistas. As famosas feiras vendem muitos produtos, especialmente guloseimas feitas de chocolate.


Módica

Museo Civico

Museo Civico

Estatueta de Hércules do século 3 a.C.

Museu Cívico: No Corso Umberto encontra-se o Museo Cívico, que preserva uma rica coleção de fósseis e objetos antigos. Uma da peças de destaque do museu é uma estatueta de bronze do heroi grego Ercole. Encontrada no leito de um rio em 1967, presume-se que a estatueta em estilo helênico seja do século 3 a.C.

Além de sua arquitetura fascinante, Módica tem também uma interessante história. Segundo uma lenda, foi o heroi grego Hércules que fundou a cidade e lhe deu o nome de Motia, em honra de bela mulher grega que o ajudou a recuperar os bois em um de seus 12 trabalhos.

Além de lendas, o que se sabe é que a região de Módica foi habitada desde tempos pré-históricos. Os gregos estiveram nessas terras antes da Guerra de Troia em 1360 a.C. e lhe deram o nome de Mùrika. Depois vieram os romanos, que estiveram na região desde 213 a.C. e ali fundaram uma colônia romana.

Inscrições atestam um período em que a cidade esteve sob o domínio Bizantino, que foram expulsos pelos árabes em 850. Durante a dominação árabe a cidade era chamada de Mohac ou Mudiqah. Com a chegada dos normandos em 1090, Modica tornou-se um centro de destacada importância. 






Alta Módica: De ambos os lados do Corso Umberto surgem escadarias entre o labirinto íngreme de casinhas, pitorescas vielas e ruas estreitas que levam até a Alta Módica. Também chamada de distrito de Francavilla, a parte alta tem o charme de uma vila siciliana.

Em alguns lugares as ruas são tão estreitas, que os veículos circulam roçando os retrovisores nas paredes. Nelas vielas encontram-se belos palácios, sendo que alguns foram transformados em elegantes hotéis.


Castello dei Conti e Torre do relógio

Castello dei Conti

Castello dei Conti

Castello dei Conti/Torre: O destaque na Alta Módica e símbolo da cidade é a Torre do relógio e os vestígios do Castello dei Conti, que serviu como residência dos condes de Módica e como ponto de defesa da cidade. O Condado de Modica teve início em 1296, quando Frederico II de Aragão tornou-se rei da Sicília. Na época era o Condado mais rico e poderoso estado feudal da Sicília e do sul da Itália.

Governada pelos condes da família Chiaramonte até 1392, após a morte do último herdeiro, o condado foi doado para a família Cabrera. Com a fundação do Reino das Duas Sicilias, um ramo dos Bourbons da Espanha assumiu o reino que perdurou até 1860. Um ano depois, Giuseppe Garibaldi incorporou a Sicília ao novo Reino da Itália.


Casa de Salvatore Quasimodo

Casa de Salvatore Quasimodo

Casa de Salvatore Quasimodo: Perto do castelo encontra-se a sugestiva casa onde nasceu Salvatore Quasimodo em 1901, um escritor e poeta que ganhou o Prêmio Nobel da Literatura em 1959 e faleceu em 1968. Ainda hoje o ambiente interno da casa permanece com os mesmos móveis e na mesma disposição deixada pelo escritor.




Museo Medico Tommaso Campailla: Outro local notável da cidade é o museu dedicado à memória do médico, filósofo e poeta modicano Tommaso Campailla. Nascido em Módica no ano de 1668, o médico dedicou sua vida pesquisas e estudos científicos até a sua morte em 1740. O museu preserva instrumentos e cabines de inalação de mercúrio, que eram usadas para tratar e curar as pessoas que sofriam de Sífilis.


Módica

Igreja San Giacomo

Igrejas: Módica bem poderia ser chamada de "Cidade das 100 igrejas", pois a cidade já teve em torno de 100 igrejas nos anos de 1600. Atualmente as igrejas maiores ou mais centrais tem mais destaque, talvez por serem mais conhecidas. No entanto, basta andar pelas vielas margeadas por casinhas pequenas para se deparar com minúsculas igrejas, que transformam cada cantinho como se fosse um presépio.

A Igreja de San Giacomo é a mais antiga da região. No passado nessa igreja se reuniam muitos peregrinos provenientes de diversas partes da Sicília. Considerada como um Monumento Nazionale, a cruz externa recorda o símbolo dos Cavaleiros de Malta. Várias igrejas foram construídas em Módica após 1492, ano da expulsão dos judeus da Sicília, ordenada pelo monarca espanhol Fernando de Aragão - o católico.

O título de reis católicos foi dado ao casal formado pelo rei Dom Fernando e a rainha Dona Isabel I de Castela, que unificaram os reinos ibéricos que se tornou a Espanha. Nessa época o Condado de Modica tinha uma das maiores comunidades judaicas. Durante a inquisição espanhola, Módica se tornou o cenário de um dos maiores massacres de judeus ocorrido em 1474.

Fruto da intolerância religiosa associada aos interesses políticos, essa época é considerada um lado negro da história do Cristianismo da Idade Média. A inquisição condenou centenas de homens, mulheres e crianças à morte. Perguntado ao grande inquisitor da época, como poderia diferenciar os hereges dos crentes verdadeiros, teria respondido: " Mate-os todos. Deus reconhecerá os seus"...


Basílica della Madonna dele Grazie

Basílica dela Madonna dele Grazie
Palazzo Mercedari / Museu de Artes e Tradições Populares

Basílica della Madonna delle Grazie: Na parte baixa de Módica a Basílica della Madonna delle Grazie (Nossa Senhora das Graças) foi construída para homenagear a santa após ter sido descoberta uma imagem numa placa de ardósia. Segundo contam, a igreja foi construída pelas mãos dos habitantes da cidade em agradecimento por terem se livrado da peste em 1709, graças à proteção da santa.

Anexo ao santuário está o antigo Convento dei Mercedari, que foi usado como um hospital durante a peste de 1709. Atualmente o Palácio de Mercedari é a sede do Museu de artes e tradições populares, que foi inaugurado em 1978.

O hall atesta a religiosidade popular, onde estão antigos altares e imagens sacras. Após uma minuciosa busca na região, foram recolhidas ferramentas agrícolas, móveis e outros utensílios com os quais foram recriados vários ambientes que retratam as atividades no campo. O artesanato local é um testemunho documental da vida rural e paesana.


Convento dos Capuchinhos

Convento dos Capuchinhos: Conectado à Igreja de San Francesco, o Convento dos Capuchinhos foi conservado em sua forma original. Ciprestes margeam o caminho até chegar na igreja, onde estão duas esculturas de madeira dourada, um relicário e o outro um ostensório para o Santíssimo Sacramento. O poço no centro do claustro traduz uma tradição franciscana.

Além da rica decoração, o convento possui uma interessante história. Na entrega do convento em 1556, o Conselho da cidade impôs a condição de que ali não poderia habitar menos de doze religiosos, por isso sempre haviam muitos religiosos no local. Durante a peste em 1576 os irmãos se dedicaram para prestar ajuda aos doentes, sendo que alguns frades acabaram morrendo em virtude do terrível flagelo.


Igreja de Santa Maria Betlem
Igreja de Santa Maria Betlem

Páscoa "Madonna Vasa-Vasa"

Igreja de Santa Maria Betlem:  Essa bela igreja dedicada a Santa Maria Betlem (Nossa Senhora de Belém) foi construída no século 14, mas a fachada só foi concluída no final da década de 1500. Em seu interior há uma Capela Palatina, também conhecida como a Capela de Cabrera, que foi uma família nobre de Módica.

Na época da Páscoa é realizada a cerimômia "Madonna Vasa-Vasa", quando uma multidão de fiéis se comprimem na Igreja de Santa Maria di Betlem ao meio-dia para assistir o tradicional encontro entre Maria e o Cristo ressuscitado. Antes desse momento, a imagem da Madonna e Cristo são carregadas pela ruas sobre os ombros dos fieis.

Uma particularidade dessa celebração que encanta a todos é o momento do encontro, quando os braços articulados da santa se abrem para abraçar o Cristo. Como sinal de alegria, ela se liberta da capa preta que representa o luto, enquanto pombas brancas saem em vôo refletindo a felicidade do abençoado evento, que é aplaudido pela multidão.


Piazza Mateotti
Auditorim Pietro Floridia

Piazza Mateotti: A praça é um lugar amplo, utilizado para diversos eventos. Nela encontram-se o Palazzo dei Carabineri e o Auditorim Pietro Floridia, que hoje ocupa o local onde existiu a Igreja de San Giovanni Battista dei Cavalieri di Malta. Em torno de 1900 a igreja foi demolida e construído em seu lugar um cinema. Numa parede lateral ainda existe uma Grande Cruz, símbolo da Gran Commenda dell'Ordine di Malta que alí está desde 1350. 
Nascido em Módica em 1860 e falecido em 1932, o músico e compositor Pietro Floridia não foi muito apreciado por especialistas da música clássica, mas ganhou notoriedade na cidade. Na parte alta da cidade encontra-se o Palazzo Solonia Fay, uma mansão do século 19 situada no Corso Regina Margherita onde ele nasceu.


Igreja del Carmine

Igreja del Carmine: Junto ao Palazzo dei Carabineri encontra-se a encantadora Igreja del Carmine anexa ao Convento dei Carmelitani. Construída em 1500, a igreja foi danificada durante o terremoto de 1693, mas manteve algumas de suas características originais.

O portal de entrada é ricamente ornamentado tendo uma rosácea na fachada superior. O interior é delicado, decorado em branco e dourado com cortinas vermelhas. Em seu interior tem destaque a imagem da Madonna del Latte ou a Santa que amamenta.

Outra digna de destaque é a Igreja de San Paolo, repleta de pinturas e imagens. O piso foi feito de cerâmica vindo de Caltagirone. Construída entre 1600/1700, recentemente recebeu obras de restauração, mas está fechada à visitação.


Igreja Santíssimo Salvatore

Igreja del Santíssimo Salvatore: Próximo à Piazza Matteoti encontra-se a Igreja del Santissimo Salvatore, que foi construída no século 15 e restaurada no século 18. Apesar da sua fachada simples, essa igreja tem um interior com rico acabamento e belas telas.

Sobre o altar de mármore existem cinco medalhões com episódios biblícos. Da igreja original se conserva ainda a base do sino e uma cruz de pedra esculpida em 1537. Também encontra-se nas imediações da praça a pequena Igreja e o Convento Sant'Anna, onde moram os padres Franciscanos.




Igreja e Convento San Domenico: Junto ao Palazzo del Comune na parte baixa da cidade encontra-se a Igreja e Convento San Domenico, que pode passar desapercebida devido à sua tímida localização. Erguida em 1461, a fachada da igreja possui esculturas em alto relevo. Em seu interior há belas pinturas do século 17.


 
 


Igreja de San Pietro: De grande valor histórico e artístico, a bela Igreja de San Pietro ou São Pedro se destaca no Corso Umberto devido à sua longa escadaria margeada pelas imagens dos 12 apóstolos. Situada no coração da Bassa Modica, documentos atestam a fundação da igreja em 1308.

A igreja foi restaurada em 1697, porém a escadaria com os apóstolos só foi concluída em 1876. É magnífica a decoração do interior da igreja, que tem no altar principal uma escultura de madeira policromada da Imaculada ladeada pelas imagens de São pedro e São Paulo.

As esculturas foram feitas entre 1773 e 1775 e belas telas decoram as capelas, Segundo contam, uma delas é dedicada a nobre família Mazzara, cujo patriarca legou parte de seus bens para a Igreja de San Pietro.



Nos últimos três dias do mês de junho, dezenas de barracas que vendem diversos produtos invadem o centro histórico, o que atrai os moradores e muitos visitantes. Em ambos lados da avenida ficam as barracas, o que transforma o corredor principal num rio de pessoas indo de um lado para outro.


Igreja de San Nicolò Inferiore

Igreja de San Nicolò Inferiore

Igreja San Nicolò Inferiore: Em uma rua atrás do Duomo di San Pietro está a Igreja San Nicolò Inferiore. Encontrada por acaso em 1987 a pequena igreja de pedras foi restaurada, tornando-se um símbolo da arquitetura rupestre. Situada numa área residencial, a igreja contém magníficos afrescos da época bizantina pintados sobre a rocha, provavelmente feitos nos séculos 13/17. 


Igreja Santa Maria del Soccorso

Igreja de Santa Maria del Soccorso: Ao longo do Corso Umberto encontra-se a Igreja de Santa Maria del Soccorso anexa ao Colégio dos jesuítas. Fundada em 1629, a construção tem uma imponente fachada ladeada por colunas e um interior com fino acabamento.   O detalhe interessante dessa igreja é que ela não tem a fachada voltada para a rua, mas para um pátio.


Catedral de San Giorgio

Meridiano solar no piso da catedral

Catedral de San Giorgio: Indo em direção à parte alta da cidade, encontra-se a Catedral de San Giorgio, que dentre as igrejas barrocas mais belas se destaca por sua imponente escadaria de 250 degraus que conduzem até a entrada. É a construção mais notável da parte alta da cidade.

Assim como a maioria das arquiteturas de Módica, o estilo barroco foi inserido após o terremoto de 1693 que destruiu quase toda a cidade. A grande fachada ergue-se em um campanário curvo. As escadarias gêmeas subindo até a igreja entre os jardins lhe dão um ar de nobreza.

O interior da catedral é decorado com estuque em azul e dourado, contendo a imagem de San Giorgio ou São Jorge. Há também um meridiano solar do outro lado do transepto, com um pequeno furo no alto por onde entra a luz solar e marca a época através dos signos do zodíaco marcados no piso.

A cada ano em 26 de abril são realizadas as celebrações em homenagem ao padroeiro da cidade, quando um fantástico show pirotécnico anuncia a procissão, que segue pelas ruas da cidade acompanhando a imagem de San Giorgio.


 Catedral de San Giovanni 

Catedral de San Giovanni

Catedral de San Giovanni

Catedral de San Giovanni: Continuando a caminhada até o alto chega-se ao Pizzo Belvedere, uma charmosa pracinha onde geralmente os turistas param para descansar depois de uma caminhada pelas vielas ingremes e de onde se tem uma bela vista panorâmica da cidade.

Mais acima encontra-se a Igreja de Santa Lucia, construída nos anos de 1700 junto de várias casas no coração do bairro de Francavilla. Porém tem destaque a belíssima Catedral di San Giovanni ou São João Evangelista, com sua fachada extravagante e elegante escadaria. Destruída pelo terremoto em 1693, a reconstrução da igreja foi feita em várias etapas através dos tempos. 

Próximo à Igreja de San Giovanni estão as Igrejas de San Ciro e de San Martino. A pequena Igreja de San Ciro concluída em 1856, tem belas pinturas do século 19 e uma linda imagem que adorna a Cappella do Cristo morto e dell'Addolorata. A Igreja de San Martino de 1700 com o convento adjacente não é aberta para visitação.


Igreja de Santa Maria dei Gesù 


Igreja di Santa Maria di Gesù: No alto da colina está a Igreja e o Convento di Santa Maria di Gesù, que foi construída em 1478 sobre o alicerce de uma propriedade de 1343 que pertencia aos franciscanos. A construção foi financiada por Giovanna Ximenes de Cabrera, na época Condessa de Módica, por ocasião do casamento de sua filha Ana com Enriquez em 1481, primo do rei da Espanha Ferdinando.

Embora seja uma das construções barrocas mais importantes e considerada um Monumento Nacional, é uma das menos conhecidas. Em 2010 foram feitas obras de restauro, porém a igreja gótica só pode ser admirada externamente, pois desde 1865 o edifício é usado como prisão.


Igreja de San Teodoro

Igreja de San Teodoro: Localizada abaixo da rua na Via Vittorio Emanuele, a Igreja de San Teodoro foi construída em 1600/1700 por ordem da nobre família Grimaldi. É também nessas imediações que existe a igreja construída em 1500 e dedicada a Santo Antonio de Pádua, um dos santos mais celebrados em Módica. Todos os anos em 13 de junho há uma comemoração com um banquete dos monges no Convento dos Capuchinhos, onde é servido feijão cozido acompanhado por pelo pão e vinho.


Igreja San Nicola ed Erasmus

Igreja San Michele

No Corso Regina Margherita há diversos palácios antigos e muitos edifícios eclesiásticos, entre eles a ex Igreja de San Nicola ed Erasmus, que foi refeita em um estilo neo-clássico em 1800. Na Via Santa Teresa está a Igreja de Santa Teresa d'Avila e ex Monastero delle Carmelitane Scalze de 1600, onde atualmente existe uma escola escola primária.

Há ainda em toda cidade dezenas de outras igrejas, sendo impossível citar todas elas. Algumas são maiores, porém muitas são pequeninas como a Igreja de San Michele. Construída no século 18, é muito conhecida por seu impressionante campanário. A poucos metros adiante está a Igreja de San Giuseppe de 1613.


Marina de Módica

Marina de Módica

Marina de Módica: Depois de apreciar a beleza arquitetônica de Módica, nada melhor do que relaxar na tranquila praia da Marina di Modica, considerada uma das pérolas da Sicília. Localizada a apenas 20 km do centro da cidade, a praia é um típico vilarejo praiano que acolhe muitos turistas durante o verão.

Com amplo comércio, restaurantes, supermercados, gelaterias e locais de diversão, Marina di Modica é o local preferido pelos surfistas, que ali encontram boas ondas. A praia de areia amarelo ouro é  uma grande baía rodeada por inúmeras dunas de areia.

Durante o verão barracas tomam conta da avenida, bandas fazem apresentações e o folclore traz animação. Quem ama peixe fresco e um lugar tranquilo encontra em Marina de Módica o lugar perfeito, pois é um dos poucos lugares ainda pouco explorado pelo turismo.


Um comentário:

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.