20 novembro 2010

Pesaro



Na costa do Mar Adriático, Pesaro não é muito conhecida pelos turistas estrangeiros, mas é muito popular entre os italianos que desfrutam de suas praias. É a segunda maior cidade da região de Marche que possui, além de belas praias, uma interessante história a ser explorada e belas arquiteturas para serem admiradas. 






Ao longo da praia existe um calçadão onde pode-se caminhar e apreciar o mar. Ao contrário de muitas estâncias italianas, onde as concessões privadas escondem o mar atrás de muros e cercas, em Pesaro a vista do mar é livre.

Como de hábito na Itália, as praias possuem fileiras de espreguiçadeiras de propriedade das concessionárias. Paga-se para usar a praia, mas tem-se o conforto de alguns serviços como vestiários, chuveiros, guarda-sol, gazebos, salva-vidas, bares, atividades esportivas e de lazer, assim como a conservação e limpeza da praia. Também há praias livres e gratuitas, como Colle Ardizio ao sul da cidade.

Villino Ruggeri
Villa Molaroni
Villa Caprile
Villa Imperiale
afrescos da Villa Imperial
Palácios/Casarões: Caminhar pelas ruas arborizadas perto da praia significa descobrir belíssimos palácios e casarões em estilo art nouveau, como o Villino Ruggeri que não passa despercebido por quem passa pelo calçadão da Piazza Libertà na orla marítima; uma fantástica obra de arquitetura construída entre 1902/1907. 

Igualmente belas são a Villa Molaroni e a Villa Caprile com seus esplêndidos jardins adornados com fontes, que foram projetados para surpreender os visitantes com seus jatos de água. Construída em 1640, entre os seus hóspedes ilustres estão Giacomo Casanova e Napoleão Bonaparte.

Sobre as colinas de San Bartolo está a magnífica Villa Imperiale,  que foi construída entre desde o final de 1400 ao princípio de 1500 com um extraordinário jardim. É considerada uma das mais incríveis obras do Renascimento italiano e serviu como residência de nobres da época. No interior da residência há diversos afrescos que decoram as paredes. 
Rocca Costanza


Entrada da Rocca Costanza
Rocca Costanza: Na antiguidade Pesaro foi uma antiga colônia que os romanos chamavam de Pisaurum. Depois da queda do Império Romano, a cidade teve sua história marcada por inúmeros conflitos e disputas entre nobres e a Santa Sé.

Um desses nobres foi Gianciotto Malatesta, que se tornou famoso por ter assasinado sua esposa Francesca e seu irmão Paolo, conhecidos pela tragédia de Gradara. A Rocca Costanza nas imediações da praia dá início ao centro histórico.

Construída em torno do ano 1500, desde os tempos antigos é a fortaleza mais importante da cidade. Entre 1864/1969 foi utilizada prisão, sendo atualmente usada como um espaço para eventos culturais.


Piazza del Popolo

Piazza del Popolo

Piazza del Popolo: O período de florescimento cultural e artístico de Pesaro aconteceu durante o governo dos Duques Della Rovere, que construíram os principais monumentos, palácios e prédios públicos da cidade.

Na Piazza del Popolo podem ser admirados o Palazzo Ducale, Palazzo Baviera, a Câmara Municipal e o Palazzo delle Poste. No centro da praça existe uma fonte que substituiu um antigo poço que servia à população.

Construída entre 1588/1593, os adornos de cavalos marinhos e tritões foram acrescidos durante os acontecimentos felizes da família Della Rovere, como o nascimento do herdeiro Federico Della Rovere em 1605 e depois quando ele se casou em 1621. Contudo Federico faleceu em 1623 após um surto epilético, o que determinou o fim da dinastia Della Rovere em Pesaro.

Já velho, Francesco Della Rovere II não tinha esperanças de ter um herdeiro. Depois de seu fracassado casamento com Lucrezia d'Este de Ferrara, ele havia se casado com sua prima e Federico era sua última esperança. Quando o duque faleceu, a cidade e seus bens foram entregues para a Santa Sé de Roma.



Casa de Rossini
teatro Rossini


Casa de Rossini: Nas imediações da Piazza del Popolo está a Casa de Rossini, onde funciona um museu que reúne um acervo de fotografias, documentos e partituras das obras do compositor erudito Gioachino Rossini nascido em Pesaro em 1792.

Ele criou inúmeras óperas e músicas sacras, tendo se tornado cérebre com sua ópera Barbeiro de Sevilha. A estréia dessa ópera em 1816 foi um fracasso, pois a platéia vaiou e atrapalhou a performance de Rossini. Entretanto ele não desistiu. Com seu humor sarcástico e zombador, Rossini aprimorou acordes e fêz uma segunda sua segunda apresentação, que foi um sucesso e deu-lhe notoriedade.

Durante o verão em agosto acontece o Festival de Ópera, quando a cidade recebe inúmeros artistas de diversas partes do mundo. O palco principal deste evento é o Teatro Rossini, construído em 1818 no centro histórico da cidade.   


Catedral de Pesaro
Catedral de Pesaro
Igreja Nome de Dio
Igreja nome de Dio
Igreja San Agostino

Igreja In Nome de Dio: Pesaro possui um grandioso acervo histórico e artístico, além de tradições culturais que são mantidos nos diversos museus, bibliotecas, palácios e igrejas. Além da Catedral há inúmeras igrejas, entre elas tem destaque a Igreja In Nome de Dio. Totalmente decorada, com grandes pinturas que retratam o Velho e o Novo Testamento, nessa igreja pode ser admirado um antigo órgão que foi restaurado e que funciona.


Galeria de arte contemporânea
Museu Cívico
Museu Cívico
Museu de Cerâmica
Museus: Pelas ruas de Pesaro pode-se descobrir diversas oficinas e lojas dedicadas à antiga tradição das cerâmicas de Pesaro, que são mundialmente famosas. No Museo Civico há uma preciosa coleção de louça esmaltada de 1462, quando Pesaro teria sido um importante centro de produção e que floresceram nos séculos seguintes.

Em algumas épocas funciona um interessante mercado de antiguidades, mas também pode-se admirar arte contemporânea na Pescheria, que é um antigo mercado de peixes que foi adaptado para servir como centro de artes visuais. Interessantes são as fontes em forma de conchas na entrada da galeria, muito apropriado para uma cidade que vive junto ao mar.

E foi por sua paixão pelo mar, que o Professor Patrignani reuniu um grande acervo naval e de pescaria para criar o Museu Marítimo. A proposta é divulgar a vida diária dos pescadores, seus costumes e práticas, além de recuperar a cultura do mar, com diversos tipos de navios, histórias de naufrágios e artes do porto.


Museu de motocicletas



Museu de motocicletas: Também foi por uma paixão, que o ex-piloto Giancarlo Morbidelli criou o Museu Morbidelli. Apaixonado por motocicletas, Giancarlo reuniu em mais de 3.000 metros quadrados a história da motocicleta através de centenas de modelos construídos desde o século passado. Há exemplos raros, assim como protótipos que não foram produzidos devido ao alto custo. Visitar esse museu é o sonho de todos que apreciam voar sobre duas rodas... 











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.