11 setembro 2011

Miseno, a terra de San Gennaro




San Gennaro, o milagroso padroeiro de Nápoles, era um jovem diácono nascido no ano 272 na cidade Miseno, na região de Campania. Ainda jovem, graças as suas atitudes de fé e caridade, foi conduzido ao cargo de bispo da cidade de Benevento próximo a Nápoles.

Naquela época, o império Romano era governado por Diocleciano que ordenou uma feroz e sangrenta perseguição aos cristãos. No ano 305 da era cristã, San Gennaro foi perseguido e condenado à morte junto a vários outros cristãos.





Conta a tradição, que o Santo foi reconhecido e preso pelos soldados do governador de Campânia quando se dirigia à prisão para visitar os cristãos detidos. Jogado na arena de Pozzuoli para ser devorado pelos leões junto com outros cristãos, os animais se tornaram dóceis e vieram lamber os pés do Santo.

Inconformado, o carrasco manteve os leões famintos por mais de uma semana, mas quando soltou os leões na arena, novamente eles se prostaram aos pés do Santo. Vendo que era impossível condená-lo às feras, San Gennaro foi decapitado em 19 setembro do ano 305 da era cristã.








Como era costume nos martírios da época, os cristãos recolheram um pouco do sangue de San Gennaro numa ampola de vidro para ser colocada diante de seu túmulo numa estrada entre Pozzuoli e Nápoles. Em 413 transferiram os restos mortais do santo para as catacumbas napolitanas na Colina Capodimonte e depois para Benevento. Em 1492 os restos mortais de San Gennaro foram transferidos para Nápoles.

Já em 472 da Era Cristã, os cristãos buscavam a ajuda de San Gennaro. Desesperados com a nova possibilidade da erupção do vulcão Vesúvio, os napolitanos correram ao túmulo de San Gennaro para pedir proteção. Milagrosamente, as lavas estacionaram às portas da cidade de Nápoles, poupando-lhe do mesmo destino trágico de Pompéia.







Desde 1608, os restos mortais encontram-se na Capela do Tesouro de San Gennaro, em cumprimento da promessa feita pelos napolitanos em 1527 quando uma peste assolou a região, mas Nápoles foi preservada milagrosamente. Quando houve um surto de Cólera em 1884, os napolitanos também foram protegidos da doença.

A deslumbrante Capela do Tesouro de San Gennaro foi consagrada em 1646: "A san Gennaro, al cittadino salvatore della patria, Napoli salvata dalla fame, dalla guerra, dalla peste e dal fuoco del Vesuvio, per virtù del suo sangue miracoloso, consacra".





A devoção a San Gennaro é conhecida no mundo inteiro pela liquefação do sangue do bispo mártir, que ocorre três vezes por ano: no primeiro sábado de maio, em 19 de setembro que é a festa do santo e em 16 de dezembro, aniversário da erupção do Vesúvio em 1631.

A fim de vencer a incredulidade humana, em 1902 o conteúdo das ampolas foi submetido a um exame diante de testemunhas. O cientista que coordenou o exame, Dr. Sperindeo, declarou: “não há dúvida de que se trata de sangue humano que, uma vez coagulado, não perde o estado sólido transformando-se em líquido por puro milagre"...



Um comentário:

  1. Somente pra esclarecer que esta Igreja Matriz de Batatais é de São Bom Jesus da Cana Verde e não de San Gennaro. O que acontece ao lado da Igreja anualmente em Setembro é o Festival Gastronomico e Cultural de San Gennaro (ou somente Festa de San Gennaro) em homenagem às centenas de familia de imigrantes italianos presentes em Batatais.

    ResponderExcluir

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.