17 janeiro 2013

Torriana e suas lendas


Nas colinas entre as regiões da Emilia Romagna e Marche há interessantes cidades que guardam antigas histórias e lendas, principalmente nos castelos da região. Uma dessas cidades é Torriana, uma cidade medieval que se tornou famosa devido ao Castello di Montebello construído pelos romanos no século 3.


A cidade está situada no topo de uma montanha na entrada do Valmarecchia a poucos quilômetros de San Marino. Chamada de Scorticata até o século passado, sua posição estratégica nas colinas fazia parte da defesa da famosa família Malatesta que governava Rimini, contra seus antigos inimigos, os Montefeltro que eram os duques de Urbino.

Um personagem da família que entrou para a história foi Gianciotto Malatesta, não como um grande líder e governante mas por ter assassinado sua esposa e o seu irmão, pondo fim a uma trágica história de amor que ficou conhecido como "O romance de Paolo e Francesca". (Leia mais em Gradara, a cidade dos amores proibidos)  



A poucos quilômetros chega-se a Montebello, um lugar de antigas batalhas que é marcado pelo imponente Castelo de Montebello onde vivia um dos ramos da família Malatesta. Solitário numa área verde e com uma estrutura medieval quase intacta, os sinos das antigas torres medievais era ouvido por todo o vale marcando os principais acontecimentos da vila. 

O castelo mantém dezenas de mobiliários, fotos, espelhos e arcas que são autênticas joias de arte do período entre 1400 e 1700. Bem preservado pelos Condes Guidi di Bagno, o castello pertence aos descendentes da mesma família desde 1464. Por seu valor histórico, o castelo é considerado Patrimônio Nacional da Itália.

A poderosa fortaleza hoje atrai muitos visitantes mas também parapsicólogos, paranormais e esotéricos interessados em descobrir seus mistérios. Um dos acontecimentos na fortaleza foi o intrigante e misterioso desaparecimento de uma menina chamada Guendalina Malatesta, apelidada de Azurrina devido aos seus olhos e cabelos azuis. 


Lenda de Azzurina - ilustração

A menina nasceu albina, uma doença que atinge principalmente a pigmentação do cabelo. Na época os albinos eram condenados à morte por bruxaria e, temendo pela vida da filha, sua mãe tentou tingir seus cabelos com tintura de ervas. No entanto os cabelos da menina tornaram-se azuis e por esse motivo ela era guardada no castelo longe dos olhares da população.

Certo dia a menina brincava com sua bola de pano sendo constantemente guardada por dois soldados. A bola rolou as escadas para o porão e a menina foi buscá-la. Depois desse episódio ocorrido em 21 de junho de 1375, Azurrina jamais foi encontrada embora todos os soldados tenham procurado por ela em todo o castelo e nas aldeias vizinhas.

Os ruídos estranhos provenientes dos túneis e porões escuros do castelo alimentaram a lenda do fantasma de Azurrina. Transmitida oralmente por vários séculos e enriquecida com elementos de fantasia, a lenda cai bem ao gosto do Valmarecchia que tem inúmeras fábulas populares. Até mesmo a Universidade de Bologna esteve interessada no estranho fenômeno, tendo realizado gravações de estranhos sons em Junho de 2000. Dizem que a cada cinco anos no solstício de verão, pode-se ouvir os gemidos de Azurrina perdidos na escuridão do castelo. 

porão do Castello di Montebello

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por sua visita e seus comentários

Related Posts with Thumbnails

Seguidores

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.